COVID-19 Máscara: Sim ou Não?

Se falarmos de forma mais inclusiva em "proteção facial" em vez de "máscaras", a resposta é simples: claro que sim! Mais do que proteger-se a si, protege os outros.

Duas perguntas que não devem ser confundidas:

  • Devo utilizar máscara? Sim!
  • Devo utilizar máscara cirúrgica? Não. No contexto atual, com a falta de equipamentos de proteção individual (EPI) a nível mundial, devemos gerir o stock destes artiigos de forma racional. E, assim, garantir a sua disponibilidade a grupos de risco e profissionais de Saúde.

Para saber como conter o vírus, é importante sabermos como se transmite.

Segundo a Direcção Geral de Saúde (DGS) a COVID-19 transmite-se principalmente:

  • por contacto próximo com pessoas infetadas pelo vírus
  • pelo contacto com superfícies ou objetos contaminados

Assim, as principais vias de transmissão são:

  • de pessoa a pessoa, através de gotículas que se emitem, por exemplo, quando tosse ou espirra
  • através do contacto de mãos contaminadas que, posteriormente, contactam os olhos, nariz ou a boca

É muito importante frisar que até quando falamos emitimos gotículas. 

O distanciamento social defendido pela DGS consiste num espaçamento mínimo de 2 metros entre cada indivíduo. No entanto, foi recentemente publicado por uma investigadora (Lydia Bourouiba) do Massachusetts Institute of Technology (MIT) que as gotículas provenientes de um espirro podem alcançar 8 metros.

Torna-se por isso imperativo reduzir a transmissão do vírus de todas as formas possíveis.

Existem outras opções de proteção facial sem recurso a mascaras cirúrgicas. Qualquer obstáculo físico à emissão de gotículas pelo nariz e boca é uma medida que comprovadamente reduz a disseminação do vírus causador de COVID-19.

O Centro de Americano de Prevenção e Controlo de Doenças (CDC) além de recomendar o uso universal (desde os 2 anos de idade e pessoas sem dificuldade respiratória) de protecção facial no combate à transmissão do vírus causador de COVID-19, disponibiliza uma secção online destinada ao ensino de fabrico artesanal de proteções faciais recorrendo a materiais simples, económicos e de fácil acesso para todos (tecidos, filtros de café, etc).

Tão importante como o distanciamento social e a lavagem frequente das mãos, o uso de proteção facial mais que uma proteção pessoal, é medida de proteção social.

Todos devemos fazer este esforço colectivo:

  • lavagem frequente das mãos
  • distanciamento social (sempre que possível superior a 2 metros)
  • sair de casa apenas em estrita necessidade, e nesse caso, utilizar sempre medidas de protecção facial.

Vai ficar tudo bem?

Sim, mas será muito mais rápido e menos doloroso se cada um fizer a sua parte: sempre que tenha que sair à rua, utilize uma mascara não cirúrgica, um lenço ou cachecol que tape a boca e nariz.

Não por si, mas pelos outros.

Publicado in impala.pt